Skip to content
June 5, 2014 / por Livia

Planejando a lua de mel

livia+celso_33

Após o nosso noivado na Tailândia eu e o Celso começamos a planejar o nosso casamento e umas de nossas atividades favoritas foi o planejamento da lua de mel.

Acabamos indo para Malásia (Kuala Lumpur e Langkawi), Tailândia (Koh Lipe), Singapura e Emirados Árabes (Dubai).

O que levamos em consideração para o nosso roteiro:

1) Perfil: Não preciso nem dizer que a viagem de lua de mel é muito particular e depende muito do estilo de cada casal. Eu e o Celso somos “elétricos” e gostamos bastante de correria, cidades grandes etc. Eu também amo praia, mas jamais me imaginaria 10 dias em um resort nas Maldivas, Bora Bora etc. Acho que depois do quinto dia eu ficaria “cansada” de tanto sossego. Nem eu e nem o Celso nunca fizemos uma viagem estilo “descanso total” e por mais que a lua de mel seja propícia para isso, decidimos manter o nosso estilo e conhecer o máximo de lugares possíveis em nossa correria habitual.

2) Distância: Queríamos aproveitar o fato de termos mais de 15 dias de férias para viajarmos o mais distante possível. Dificilmente conseguimos tirar tantos dias de férias e também, pensando no futuro, quando os filhos vierem, viagens assim tão cansativas (por conta da distância) serão cada vez mais difíceis. Portanto, melhor aproveitar agora!

3) We love Asia! Depois de nossa viagem para Ásia no ano passado, voltamos apaixonados e planejando mil outras viagens para lá. A Ásia é muito rica culturalmente e possui praias maravilhosas, o desafio foi escolher os destinos com tantos opções. A princípio fiquei empolgadíssima para ir para as Filipinas, mas depois de pesquisas, descobri que a locomoção interna é difícil pois as opções de voos são um pouco limitadas. Se fosse qualquer outra viagem eu até encararia viagens de barco, van etc para chegar em alguma praia maravilhosa. Para a lua de mel, preferi evitar qualquer tipo de dor de cabeça.  Por fim escolhemos:

– Malásia: De qualquer maneira teríamos que chegar em alguma capital, tentamos escolher alguma que teria algumas atrações. Kuala Lumpur nos pareceu legal (moderna, cosmopolita etc). A Malásia possui praias e ilhas maravilhosas, porém as opções de transporte e a infraestrutura podem ser um pouco limitadas. Escolhemos Langkawi por ser a ilha mais popular da Malásia, com aeroporto e vários opções de voo.

– Tailândia: A Tailândia foi uma supresa, depois vou contar melhor, não tínhamos programado ir para lá na lua de mel, mas fiquei feliz com a mudança na rota, Koh Lipe foi um dos highlights da viagem!

– Singapura: Já tínhamos ouvido falar muito bem de lá e não tivemos muitas dúvidas pois Singapura tem tudo que gostamos: opções culturais, bons restaurantes, modernidade etc.

– Dubai: Para ser bem sincera, nunca tinha tido muita curiosidade para conhecer Dubai, mas como voamos de Emirates e teríamos escala lá, decidimos fazer uma rápida parada na volta.

A definição do roteiro foi a tarefa mais difícil do planejamento. A marcação dos voos e hotéis foi bem simples, escolhemos todos os hotéis lendo diversos reviews online e felizmente não tivemos nenhuma surpresa, amamos todos. Além disso, o único preparo pré viagem que precisamos fazer foi o visto de “transit” (até 96h) para Dubai. Depois da compra das passagens com a Emirates, a obtenção do visto foi bem simples pois todo processo foi feito online, através do próprio site da Emirates!

Casamos no dia 10 de maio e na madrugada do dia 11 para o dia 12 embarcamos para a lua de mel… os detalhes de cada destino estarão nos próximos posts!

Advertisements
December 5, 2013 / por Livia

Los Angeles: Roteiro

Morei em Los Angeles por dois anos e morro de amores pela cidade. Sério mesmo, não existe nenhuma cidade no mundo mais legal que Los Angeles, moraria lá para sempre fácil, fácil, fácil! Depois de 2 anos longe, irei visitar minha cidade amada em janeiro e fiquei motivada a escrever esse post! PS: Post atualizado em fevereiro com fotos da viagem!

Meu amor por LA é tão grande que fico muito chateada quando ouço pessoas comentarem que já foram para lá e não gostaram. A primeira coisa que passa pela minha cabeça é “provavelmente você não organizou bem a sua viagem”. Los Angeles é realmente uma cidade um pouco complicada para turistas, as distâncias entre um ponto turístico e outro são grandes e se você não tem um roteiro montado, é capaz de andar uns 30km por dia, ficar preso no trânsito e não aproveitar muita coisa.

Minha dica principal para Los Angeles é: planeje bem o seu roteiro!  Pensando nisso, vou sugerir um roteiro quebrando os passeios por dias/distância e tipo de atividade.

Antes de começar eu já antecipo: alugue um carro! Confie em mim, é praticamente impossível depender do transporte público e as corridas de taxi são absurdamente caras por conta das longas distâncias e do trânsito.

Onde ficar: Como eu já disse, os pontos turísticos ficam longes uns dos outros, portanto, não existe uma localização “central” perto de tudo. Como você terá o carro alugado, não importa muito onde irá ficar, portanto, não quebre muito a cabeça e fique em um hotel que tenha um bom custo benefício de acordo com o seu budget. Como eu morava lá, nunca fiquei em hotel e não tenho nenhuma dica, mas de novo, não se preocupe tanto com a localização do hotel. Eu gosto bastante de West Hollywood, Hollywood Hills, Santa Monica e Westwood.

Parques:

Disneyland em Anaheim: Não tem a mesma estrutura da Disney de Orlando mas é um passeio que vale a pena para quem curte parques. São dois parques: a Disneyland e o California Adventure (brinquedos mais “radicais”), sendo um ao lado do outro. Dá pra fazer os 2 parques em um dia,  caso esteja pensando em fazer isso, compre o combo”2 parques em 1 dia”.  A Disney fica em Anaheim, uma cidade um pouco afastada de LA (mais ou menos 1 hora), portanto, é necessário reservar um dia inteiro para o passeio.

Universal Studios Hollywood: No meu primeiro ano em LA comprei o annual pass e fui 6 vezes, acho demais!! Tem o studio tour (para quem não entende inglês muito bem, há opção de tour em espanhol, inclusive a fila costuma ser bem menor!), montanha russa 3d dos simpsons, enfim, é muito legal!! Também é um passeio para um dia inteiro… imperdível!

Six Flags em Valencia (uns 40 min de LA): Parques com brinquedos bem “radicais”, melhores montanhas russas que eu já fui! Passeio para um dia inteiro.

Passeios em Estúdios: A Sony e a Warner também oferecem alguns “tours”, eu já fui em ambos e não recomendo!

Passeios:  Como Los Angeles e uma cidade totalmente “espalhada”, eu vou agrupar os passeios por região, ok?

1) Calcada da fama + Griffith Observatory: A calçada da fama dispensa apresentacões, em uma manhã (máximo 3 horas) você mata esse passeio… tem a calcada da fama, o teatro chinês, o Kodak Theater e um shoppinzinho legal tudo na mesma área. Recomendo parar o carro no estacionamento subterrâneo do hotel Renaissance (Hollywood Blvd X Highland) que fica bem no meio de tudo. Você pode fazer esse passeio de manhã e depois seguir para o Griffith Observatory.

DSC06042 walkofamebrit walkofame

O Griffith é um parque que tem um observatório e um planetário no topo, a vista de Los Angeles é linda e é de lá que você consegue tirar as melhores fotos do letreiro de Hollywood! Se estiver a fim de um passeio diferente, vale a pena fazer uma trilha que vai até o letreiro de Hollywood, a duração da caminhada é de mais ou menos 1 hora (ida e volta). Para chegar lá coloque “Beachwood St” no GPS e siga até o final da rua de carro. Quando acabar essa rua/subida vai ter lugar para estacionar o carro e de lá já começa a caminhada. A caminhada é tranquila e sempre com muitos turistas.

Griffith Park

Griffith Park

Museu do Griffith Park

Museu do Griffith Park

DSC06053

Caminhada até o letreiro, a vista é demais!

Caminhada até o letreiro, a vista é demais!

2) Getty Center Museum + Beverly Hills: O Getty Center Museum é DEMAIS!!! Além das obras, a vista e arquitetura são imperdíveis…o chão é todo de mármore e os jardins são maravilhosos, não sei se gosto mais das obras ou do museu. Você para o carro no estacionamento (a entrada para o museu é gratuita, só é necessário pagar o estacionamento) e de lá pega um trenzinho que te leva até o museu, no topo da montanha. Mesmo que você não goste tanto de museus, a visita vale muito a pena!

Os jardins e a arquitetura são demais!

Os jardins e a arquitetura são demais!

DSC06071

A vista é linda!

A vista é linda!

Saindo do Getty Center você pode passear por Beverly Hills e andar pela Rodeo Drive (várias lojas chiques como Chanel, Dior etc).  Outro passeio “glamour” em Beverly Hills ou Bel Air é passear pela área residencial, as casas são lindissimas e você sempre encontra um pessoal vendendo “celebrity maps” com endereços das casas das celebridades!! Se der tempo, vale uma passada rápida pelo campus da UCLA  que fica em Westwood, uma região cheia de universitários.

Audrey Hepburn's wannabe #breakfastattiffanys

Audrey Hepburn’s wannabe #breakfastattiffanys

DSC06087 DSC06090

PS: Não incluí o museu LACMA e nem o Getty Vila no roteiro básico, porém, se você gostar muito de muses, vale muito a pena visitar os dois também!

3) Praias:

Santa Monica + Venice Beach+ outras praias: Se o dia estiver legal eu sugiro alugar uma bike e passear pela orla de bike… o passeio é bem legal, você pode sair de Santa Monica e seguir até Venice (acho que são uns 5km de bike, é super tranquilo, uma reta só!). Em Venice, vale a pena sair da orla para conhecer as casinhas lindas que ficam no canal de Venice. Para chegar lá, siga pela orla até Venice Beach, saia da orla e entre na South Venice Blvd e vire à direita na Dell Ave.

Baywatch!

Baywatch!

Santa Monica

Santa Monica

No pier de Santa Monica

No pier de Santa Monica

Venice é a praia mais hippie, você anda por lá e vê consultórios de “maconha medicinal”, pessoas andando de skate etc. Santa Monica tem uma infra estrutura mais turística, tem o pier de Santa Monica que é bacana de conhecer e a Third Street Promenade , que é uma rua com várias lojas e restaurantes. Malibu também é outra praia legal de visitar, sugiro o restaurante Dukes (http://www.dukesmalibu.com/) para o almoço, a vista é lindíssima!

venice

Casinhas no canal de Venice: que sonho!

Casinhas no canal de Venice: que sonho!

DSC06112

Além dessas praias tem também Long Beach (onde tem um navio Queen Mary, “irmão” do Titanic), Newport e Laguna Beach (em Orange County, uma comunidade entre LA e San Diego) e outras praias menos conhecidas mas legais também!

4) Outlets e shoppings:

  • Shopping The Grove: Fica em West Hollywood, recomendo pois é um shopping diferente, todo aberto e bem bonito.  Lá vc acha todas as lojas que os turistas amam (Gap, Victoria’s Secret, Nike, Apple etc) e também o restaurante Cheesecake Factory. Se ficar com vontade da comidinha do Brasil, no final do shopping tem uma feirinha (Farmer’s Market) e lá tem um restaurante brasileiro por quilo!
  • Lugares bons e baratos para compras são lojas tipo Ross, TJ Maxx e Nordstrom Rack (minha preferida!). Nesse tipo de loja você encontra de tudo: coisas pra casa, perfumes, sapatos, roupas de várias marcas (Michael Kors, Marc Jacobs, Diesel, Nike, Calvin Klein etc) com preços muito bons, só é preciso disposição e paciência para “caçar” coisas bacanas.
  • Melrose Avenue: Várias lojas moderninhas como Urban Outfitters, Fred Segal, brechós (para que gosta é um paraíso) etc.
  • Outlets: Citadel (perto de downtown LA, outlet pequeno mas com a maioria das marcas), Camarillo (meio afastado, mas é gigante, daqueles de passar o dia inteiro) e Desert Hills (fica a mais ou menos 2h de LA, no caminho para Palm Springs, tem as lojas de sempre  e também  lojas mais chiques como YSL, Prada, Gucci, Burberry etc).

5)Restaurantes:

In’N’Out: Todo californiano morre de orgulho do In’N’Out pois é uma rede fast food (hamburger etc) que só tem na California e em mais um estado nos EUA. Tem em Westwood, do lado do campus da UCLA.

Yamashiro: Restaurante japonês que fica no topo de Hollywood Hills, a vista é linda, vale a pena apesar de ser um pouco caro!!!! http://www.yamashirorestaurant.com/

Figaro Bistrot: Restaurante em Los Feliz (perto do Griffith Park), uma área bem hipster de LA. Eu ia nesse restaurante pelo menos 1 vez por semana, sempre para happy hours ou jantares. O lugar é  charmoso e comida é uma delícia! http://www.figarobistrot.com/

Bottega Louie: Restaurante italiano em downtown LA. Comida muito boa e preço justo. Os doces são maravilhosos, tem uma vitrine cheia de macarons coloridinhos, fica difícil escolher um só! O ambiente é uma delícia, tanto na hora do almoço quanto no jantar. http://www.bottegalouie.com/

Urth Cafe: Local preferido das celebridades para dose diária de café orgânico (bem LA isso, o pessoal é super “natureba” e “green”). Gostoso para tomar um café e comer algo rápido (saladas, sanduiches etc).

Mais dicas de restaurantes: A Fefa, uma das minhas melhores amigas da UCLA, fez um blog com ótimas dicas da CA (LA, San Francisco etc), recomendo muito o blog dela: http://spiceuptheroad.com/ .

6) Outras Atrações: 

Esportes:  Se quiser de assistir jogos (Clippers, Lakers, baseball etc), sugiro comprar online no site stubhub.com , você imprime o ingresso na hora.

Wall Disney Concert Hall em downtown LA: Arquitetura maravilhosa e casa da Filarmônica de Los Angeles, vale a pena conferir a agenda de espetáculos.

Cirque de Soleil : Fique de olho pois o Cirque de Soleil sempre tem algum espetáculo em Los Angeles/ Santa Mônica.

Hiking no Runyon Canyon: Também muito popular entre as celebridades, a caminhada no Runyon Canyon é uma delícia e oferece uma boa vista de LA.

O post ficou GIGANTESCO, mas espero que seja útil!

 

August 26, 2013 / por Livia

Roteiro Final

Já estou de volta a São Paulo morrendo de saudades das massagens, dos templos, das praias, da sensação diária de surpresa e dos dias de relax total. Felizmente deu TUDO muito certo na viagem e não tivemos nenhum problema que prejudicou o nosso roteiro!

Foram 18 dias, 3 países, 7 lugares diferentes, 10 voos, 1 noivado (!) e muitas, mas MUITAS experiências boas!

O roteiro final ficou assim:

Dia 1: SP- Johannesburg

Dia 2: Johannesburg – Bangkok

Dia 3: Bangkok- Chiang Mai

Dia 4: Chiang  Mai

Dia 5: Chiang Mai – Bangkok

Dia 6: Bangkok

Dia 7: Bangkok – Siem Reap

Dia 8:  Siem Reap

Dia 9: Siem Reap

Dia 10:  Siem Reap – Bangkok/ Bangkok – Krabi

Dia 11: Krabi

Dia 12: Krabi – Ko Phi Phi

Dia 13 : Ko Phi Phi

Dia 14: Ko Phi Phi

Dia 15: Ko Phi Phi –  Phuket

Dia 16: Phuket- Bangkok

Dia 17: Bangkok- Johannesburg

Dia 18: Johannesburg – SP

Dia 19: SP :(

August 24, 2013 / por Livia

Dias 17 e 18: Johannesburg e safari em Pilanesberg

Chegamos em Johannesburg bem cedo e encontramos a querida Mrs. Hanson, que já nos aguardava com uma plaquinha no aeroporto.

Eu trabalho em uma multinacional e sabia que um colega de trabalho, do escritório de Londres, tinha acabado de voltar da África do Sul. Até então eu nunca tinha tido muito contato com ele, mas mesmo assim mandei um email  perguntando se ele poderia me passar algumas dicas de Johannesburg. Para minha surpresa, ele disse havia nascido e passado grande parte de sua vida em Johannesburg e comentou que sua mãe, a simpática Mrs. Hanson, ainda morava lá e que iria adorar nos levar para passear! No início eu fiquei com receio pois não queria dar trabalho para ninguém, mas percebi que a oferta tinha sido sincera, ele disse que a mãe dele era uma grande conhecedora da vida selvagem e que seria um grande prazer nos levar até a reserva de Pilanesberg.

Gente, eu realmente não tenho nem palavras pra descrever a Mrs. Hanson, ela fez de tudo por nós: nos buscou no aeroporto, reservou o hotel, fez lanchinhos para fazermos piquenique, enfim, ela foi demais!!

Piquenique com a Mrs Hanson

Piquenique com a Mrs Hanson

Saímos do aeroporto e fomos direto para Pilanesberg. A reserva mais famosa na África do Sul é o Kruger Park, mas como não tínhamos muito tempo, optamos por Pilanesberg, uma reserva menor e mais perto de Johannesburg. No caminho, a Mrs. Hanson nos contou um pouco sobre sua vida em Johannesburg (ela é Inglesa mas odeia o clima da Inglaterra e por isso vive na África há mais de 40 anos) e também sobre como seria o safari.

Basicamente, o objetivo do safari é achar o chamado “Big 5” que são os elefantes, leões, rinocerontes, leopardos e búfalos. Sei que muita gente deve perguntar “não é mais fácil ir ao Zoológico?”. Claro que sim, mas a graça do safari é justamente a dificuldade em achar esses animais espalhados por uma reserva imensa! Vi vários elefantes na Tailândia, mas vocês não imaginam a minha alegria quando achei um, bem de longe (só consegui ver com o binóculo) quando estávamos no carro! Você fica horas no carro sem ver muita coisa, tem que prestar atenção o tempo todo, e, quando vê algo, é a maior alegria!

Você fica o tempo todo dentro do carro, exceto em algumas áreas restritas onde você pode descer e fazer piquenique ou áreas protegidas onde você entra em uma espécie de “casinha” para ficar observando os animais.

"Casinha" para observar os animais

“Casinha” para observar os animais

Ficamos passeando de carro por um tempão, demoramos mais ou menos 2 horas para irmos de um portão do parque até o outro. A reserva é gigante e possui pelo menos uns 10 complexos para hospedagem. Nós ficamos no complexo Bakgatla Resort que ficava próximo ao Bakgatla Gate. Há várias opções de hospedagem e nós ficamos em um chalé que era uma graça! Durante o dia fez sol e calor mas durante a noite a temperatura caiu bastante  e foi uma delícia ter ficado naquele chalezinho super confortável com lareira, aquededor etc. No jantar fizemos churrasco, a Mrs. Hanson havia levado tudo e o Celso pilotou a churrasqueira, estava tudo uma delícia! Estava morrendo de sono, mas depois de dias derretendo no calor da Tailândia e do Camboja, o churrasco com vinhozinho naquele friozinho com o céu cheio de estrelas, me fez ficar até com dó de ir pra cama e dormir.

pilanesberg4

DSC05782

No dia seguinte tomamos café no restaurante que fazia parte do complexo do resort e seguimos o caminho de volta para Johannesburg, mas ainda ficamos pelo menos uma hora no carro mega concentrados em achar os animais. Abaixo fotos de alguns dos animais que vimos:DSC05834 DSC05832 DSC05830 DSC05828 DSC05769 DSC05775 DSC05806 DSC05798 DSC05790 DSC05778 DSC05765 DSC05760

Seguimos de Pilanesberg direto para o aeroporto, nossa passagem pela África do Sul foi rápida mas eu AMEI!! Confesso que nunca tinha tido curiosidade para fazer um safari antes, mas depois dessa experiência, toparia fácil passar uns 5 dias em uma viagem apenas para isso!

Pra finalizar, uma foto com a querida Mrs. Hanson, sem ela o passeio não teria sido o mesmo!

DSC00881

August 24, 2013 / por Livia

Dia 16: Último dia na Tailândia :(

Saímos de Phuket cedinho e chegamos em Bangkok na hora do almoço. Como havia mencionado antes, deixamos os 6 dias finais na Tailândia em aberto pois não sabíamos ao certo o que iríamos fazer, só sabíamos que queríamos ficar na praia.  Compramos o voo Phuket – BKK uns 2 dias antes da data e o preço foi bem justo, acho que pagamos uns US$70. Aliás, acho que vale falar que tirando o voo Bkk – Siem Reap (Camboja) que foi um pouco caro, todos os outros voos estavam com os preços bem ok, mesmo quando comprados na última hora. Fizemos todos os trechos da viagem de avião pois queríamos aproveitar o máximo e não tínhamos muito tempo. Sei que há opções mais baratas (de trem ou ônibus) mas acho que vale pesquisar os voos, sei que muitas cias aéreas oferecem ótimos preços, principalmente quando os voos são comprados com antecedência.

Pegamos um hotel bem “mais ou menos” em Bangkok apenas para deixarmos nossas malas e tomarmos um banho antes do voo de volta para Johannesburg. Deixamos nossas coisas no hotel e seguimos para o shopping Siam Paragon pois eu queria aproveitar as últimas horinhas em Bangkok para algumas comprinhas. Achei o preço das lojas um pouco mais alto quando comparado à Europa ou EUA mas ainda assim achei que valeu a pena ter feito algumas comprinhas por lá! Até o Celso se empolgou (coitado, acho que ele não teve outra opção)!

O Siam Paragon fica ao lado da estação Silom do Sky train.

O Siam Paragon fica ao lado da estação Silom do Sky train.

Bangkok é uma cidade bastante movimentada mas nesse dia, em especial, a cidade estava um “caos” por conta de um feriado budista. Geralmente, em feriados assim, os tailandeses budistas costumam ir aos templos e apesar de todo o trânsito e movimentação causada pelo feriado, a cidade estava linda e toda enfeitada de flores, com famílias nas ruas…muito lindo!

Trânsito em Bangkok

Trânsito em Bangkok

Por conta do feriado, custou achar um taxista que topasse nos levar para o aeroporto com o taxímetro ligado, paramos uns 4 motoristas que queriam cobrar preços absurdos! Por fim achamos um motorista honesto, passamos metade do caminho preocupados se ele realmente tinha entendido que queríamos ir ao aeroporto (ele não falava inglês e ficava tentando, de todas as maneiras, conversar em tailandês conosco, foi engraçado!) mas conseguimos chegar bem e no horário 🙂

O famoso "tuk tuk, sir?". Em todos os lugares que você for vai ter um motorista fazendo esse gesto, oferecendo uma corrida de tuk tuk. No nosso último dia, o Celso não resistiu e pediu para tirar uma foto!

O famoso “tuk tuk, sir?”. Em todos os lugares que você for vai ter um motorista fazendo esse gesto, oferecendo uma corrida de tuk tuk. No nosso último dia, o Celso não resistiu e pediu para tirar uma foto!

Com um mix de alegria e tristeza nos despedimos da Tailândia. Alegria pois a viagem foi demais e tristeza pois sei que não irei voltar lá tão cedo. Além de ser bem longe (não recomendo a viagem para quem pretende ficar menos de 10 dias, é bem cansativo!), há tantos lugares no mundo que eu quero conhecer que acho que fica difícil voltar tão cedo. Viajar tem disso, a gente se apaixona por lugares mas ao mesmo tempo desenvolve ainda mais aquela ansiedade de querer viver experiências tão legais em outros lugares do mundo também.

Ainda falta escrever sobre a parte final dessas férias, que foi em Johannesburg, mas termino esse post com o seguinte:

travel

Tailândia, querida, I will be seeing you again!

August 24, 2013 / por Livia

Dia 15: Bye bye Phi Phi, hello Phuket!

De manhã, curtimos as nossas últimas horas no Outrigger com um café da manhã delicioso seguido de momentos relax na piscina e na praia. Volto a dizer que esse resort é muito bom, achei que fizemos um bom esquema: ficamos 2 noites no centrinho e conhecemos a ilha e 1 noite no resort, afastados de tudo e no maior clima relax.DSC00786 DSC00814DSC05741 DSC05748

Fizemos o check out e o barco do hotel nos levou de volta até o pier. Como tínhamos 2 horinhas de espera até que o nosso ferry para Phuket saísse, entramos numa casa de massagem e ficamos pouco mais de uma hora curtindo aquela tão querida thai massage. Que delícia!!!!!

Chegamos em Phuket quase no final da tarde. Decidimos fazer a volta de Phi Phi por Phuket pois já havíamos conhecido Krabi e achamos que seria legal passar uma noite em Phuket.

Um resumo de Phuket: balada! Ouvi dizer que as praias mais legais e resorts ficam bem afastados da cidade (perto do aeroporto – 1h de carro de Patong Beach) e como nós só teríamos um dia, decidimos ficar no meio da “bagunça” em Patong Beach. A praia é bonita, mas sinceramente, depois das praias de Krabi e de Phi Phi, não achei muita coisa. Acho que deve ser legal ir para Phuket em turma, para curtir balada pois as atividades noturnas são bem animadas!

À noite, fomos para a famosa Bangla Road, rua cheia de barzinhos e baladas. Prepare-se para ser abordado mil vezes por pessoas vendendo  tickets para shows de “Ping Pong”. Indo direto ao ponto, “ping pong” é o nome dado para o show com mulheres nuas que demonstram todo tipo de habilidade bizarra com a vagina: quebram ovos, fumam cigarros e literalmente jogam ping pong. Imagino que deva ser bizarro, mas em Phuket essa atividade parece super normal, em qualquer esquina você vai achar uma casa de “Ping Pong”.

Curtindo em Bangla Road

Curtindo em Bangla Road

Bangla Road

Bangla Road

Eu e o Celso entramos no clima da balada e fomos em uns 3 barzinhos, no último, ficamos um tempão pois havia uma banda muito boa tocando uns clássicos do rock. Estávamos mais em um clima romântico de viagem de casal, mas nos divertimos bastante nessa noite em Phuket, acho que nossa parada por lá foi válida.

Barzinho estilo "Phuket"

Barzinho estilo “Phuket”

Na volta para o hotel ainda paramos em algumas barraquinhas para comprar os últimos souvenirs. Aquela região da Bangla é ótima para isso!

Considerações finais sobre Phuket:  Achei Phuket legal apenas por uma noite, gostei de ter conhecido  Patong Beach e Bangla Road mas jamais, em uma viagem romântica,  ficaria lá por mais tempo que ficamos. É uma cidade bem “balada” e o turismo sexual rola solto por lá. Fiquei feliz por termos escolhido Krabi como nossa “base” para Phi Phi, a cidade é bem mais bonitinha e as praias são lindas!

August 24, 2013 / por Livia

Dia 14: Maya Bay e Outrigger resort

Tomamos café no hotel e fomos atrás de uma operadora que oferecesse um passeio até Maya Bay. Em toda esquina você vai achar uma lojinha, os preços também são bem parecidos, nem vale a pena pesquisar muito! Fechamos um passeio das 10 às 13 que incluía: Monkey Beach, snorkling e Maya Bay.

Nossa primeira parada foi em Monkey Beach e eu já fiquei apaixonada! Que praia linda! É uma praia bem pequena mas a água é cristalina em um tom meio azul / meio esmeralda, lindo demais! O nome Monkey Beach não é por acaso, chegando lá você é recepcionado por muitos macaquinhos, que, muito espertinhos, ficam esperando comidas dos turistas. Nosso barqueiro tinha alguns pedaços de melancia no barco e eu me aproximei um pouco para dar comida para alguns deles. Ficamos lá por uns 20 min e um senhor que estava no nosso barco foi arranhado por um macaco e o ombro dele ficou sangrando um pouco. Nessa hora eu lembrei do quanto eu estava aliviada por ter tomado a vacina anti-rábica antes da viagem! Enfim, ainda bem que não foi nada muito sério e nós seguimos o passeio, só fica aqui a dica de não chegarem tão perto dos macacos, alguns deles podem não ser tão fofinhos como aparentam!

A única foto que tenho que mostra o quanto essa praia é linda (ignorem minha pose esquisita)

A única foto que tenho que mostra o quanto essa praia é linda (ignorem minha pose esquisita)

DSC00617 DSC00609

Seguimos para outras praias, onde paramos e nadamos um pouco. A minha parte preferida do passeio foi quando paramos em um ponto de snorkling. Coloquei a máscara e fiquei admirada com a quantidade de peixinhos que vi. Muito lindo!!!! O passeio já valeu por isso, realmente achei demais!!!!!! Mais uma vez, uma pena não termos comprado ou alugado uma câmera a prova d’água!DSC00656 DSC00651

De lá, seguimos para Maya Bay e foi lá que tive uma mini decepção…como disse uma australiana que estava conosco no barco “this is a zoo!”. A praia estava LOTADA, cheia de barcos e turistas. Deu certa tristeza de ter visto aquela cena! Sem dúvida é uma das praias mais maravilhosas que já fui na vida, a água é azul turquesa e a praia é rodeada por pedras, é linda demais… Acho que chegamos em um horário de pico e vários barcos estavam parados na beira da praia, mal dava pra entrar na água. Depois de uma meia hora 80% dos barcos foram embora e a praia ficou mais vazia e tranquila, ainda assim, na água,  eu vi diversas bitucas de cigarro, embalagem de salgadinho, iogurtes etc. Muito triste!!

Maya Bay quando chegamos :(

Maya Bay quando chegamos 😦

Maya Bay 30 min depois :)

Maya Bay 30 min depois 🙂

Quem quiser ter uma experiência mais agradável em Maya Bay, recomendo que chegue lá bem cedinho antes de todas as excursões turísticas. Ainda existe uma operadora que organiza um “sleep over” em Maya Bay, você passa a noite lá dormindo em barco e aproveita a praia vazia só com o seu grupo. Nós consideramos essa opção mas no final desistimos pois preferimos curtir os últimos momentos da viagem em um resort.

Voltamos do passeio, buscamos nossas malas no hotel e voltamos para o pier para pegarmos o barco para o Outrigger resort. Lembram que eu expliquei que os resorts legais ficavam bem afastados do centrinho de Phi Phi? Como já haviamos passado tempo suficiente andando pela ilha (praias, view point, lojinhas, bares etc) decidimos passar nossa última noite em Phi Phi em um lugar mais tranquilo. O Outrigger fica bem afastado do centrinho, para chegar lá é necessário ficar uns 25 min no barco, por isso se tiver pensando ficar em algum desses resorts mais afastados, desconsidere os passeios pelo centrinho pois além de ser longe, os barqueiros cobram bem caro pelo trajeto (acho que nenhum resort oferece esse serviço gratuitamente, apenas o caminho de ida e volta ao pier – quando você chega e vai embora).

Chegamos no resort, fizemos o check in e fomos curtir a praia  particular do hotel, que estava bem vazia. A praia era uma delícia e bem diferente, à tarde a maré estava baixa e para chegar em um ponto até onde  a água cobria minha barriga andamos uns 400 m desde a areia. Ficamos na praia um tempão até que no final da tarde começou a chover e nós voltamos para o quarto.

Praia do hotel Outrigger

Praia do hotel Outrigger

DSC00779

Quando fizemos o check in recebemos um guia com informações sobre os restaurantes do resort e vimos que havia uma opção de jantar a luz de velas na beira da praia. Escolhemos essa opção e foi muito especial! Só tinha a nossa mesa (super bem arrumada, com um arranjo de flores lindo!) na praia e o jantar estava uma delícia! Comemos uma sopa (a minha foi minestrone e a do Celso uma sopa thai) e salada de entrada, frutos do mar  e depois ainda uma sobremesa. Foi a nossa última noite em Phi Phi e achamos que o jantar de despedida foi tão especial quanto toda a viagem.DSC00744 DSC00747 DSC00750

Por fim, vale falar que o serviço do hotel foi top! Os funcionários foram mega atenciosos e a estadia foi maravilhosa, nota 10 para o Outrigger resort!!!!!